UM MOVIMENTO PELA CULTURA DE DOAÇÃO. ENGAJE-SE PARA PROMOVER CAUSAS E PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS, GARANTIR DIREITOS E FORTALECER A DEMOCRACIA NO BRASIL.

Descubra/

Mural

Nada sobre nós sem nós: como apoiar e lutar com as pessoas com deficiência

21.09.2018 // por Viralize

“Nada sobre nós sem nós”, este foi o lema de uma multidão de pessoas com deficiência que, na década de 1980, marchou em protesto, na África do Sul, após o governo do país – à época sob o regime do Apartheid – ter se recusado a assinar o protocolo da Organização das Nações Unidas que instituía o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência (autonomeadas PDCs). Anos mais tarde ao protocolo, o mesmo governo decidiu, por conta própria, fazer uma assembleia nacional para comemorar a data sem incluir, no entanto, as próprias pessoas com deficiência. Foi assim que um movimento formado exclusivamente por pessoas com deficiência não aceitou participar da assembleia enquanto não tivesse voz ativa.

A voz dessas pessoas, então, ecoou além das fronteiras sul-africanas e continua com força nos dias atuais: não aceitamos que nenhuma decisão política sobre as pessoas com deficiência aconteça sem a participação das próprias. No Brasil, hoje são 45 milhões de PDCs, de acordo com o IBGE. Segundo a Lei Nº 13.146/15, a pessoa com deficiência é aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode dificultar sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com os demais indivíduos.

Por aqui, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, celebrado em 21 de setembro, aconteceu de uma forma mais inclusiva: também na década de 1980, Cândido Pinto de Melo, brasileiro que foi um dos fundadores do Movimento pelos Direitos das Pessoas com Deficiência, propôs esta data que virou lei em 2005 e consolidou a importância da inclusão dessas pessoas na sociedade de maneira igualitária e sem discriminação. Apesar de não formalizar, o movimento também seguia o lema “nada sobre nós sem nós”, já que lutava para mudar a mentalidade assistencialista que ainda permeava o tratamento das pessoas com deficiência. Era preciso mais que isso, era preciso incluir de fato e transformar realidades.

O esforço desses movimentos vale a pena: as pessoas com deficiência já conquistaram diversos direitos, como o Estatuto da Pessoa com Deficiência, que legisla sobre acessibilidade e inclusão em diferentes aspectos da sociedade; a lei de cotas, que determina que as empresas com cem ou mais funcionários devem empregar de 2% a 5% de pessoas com deficiência; a Lei do Direito à Acessibilidade, que trata do acesso a edifícios públicos, privados e no transporte coletivo; a inclusão na Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que prevê o atendimento e apoio especializado, na escola regular, para atender às peculiaridades dos alunos, entre outras determinações com foco na educação, além de outras leis.

Para se ter uma melhor ideia do impacto dessas conquistas, nas escolas, segundo o Ministério da Educação (MEC), o acesso de pessoas com deficiência aumentou 381% entre 2003 e 2014. No mesmo intervalo, o número de matrículas de PCDs saltou de 145.141 para 698.768. Apesar desses avanços, alguns entraves ainda existem e mostram que a luta pela inclusão das pessoas com deficiência deve ser com eles, mas pertence a todos. Do total de 45 milhões, menos de 1% está no mercado formal de trabalho, pois a maioria das empresas ignora a obrigatoriedade, estabelecida por lei, como citado acima, de contratar pessoas com deficiência.

Para contribuir com esta luta, encorajamos todos a defender uma sociedade mais inclusiva e diversa, a fim de inspirar que empregadores, gestores, educadores e todos os cidadãos reconheçam seu papel nesta empreitada. Neste caminho, o convite também vai para que mais e mais pessoas conheçam organizações da sociedade civil que trabalham com este público e que também se sintam inspirados para apoiar, doar e viralizar estes projetos.

O Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, parceira do Viralize, é uma associação que contribui com a inclusão social, esportiva e cultural de pessoas com e sem deficiência intelectual e em situação de vulnerabilidade social. Conheça!

 

Mural

Ao doar para uma organização social você também pode estar apoiando uma criança

No dia 12 de outubro foi comemorado o Dia das Crianças, data sancionada no Brasil em 1924 por meio de um decreto qu...

Mural

Nada sobre nós sem nós: como apoiar e lutar com as pessoas com deficiência

“Nada sobre nós sem nós”, este foi o lema de uma multidão de pessoas com deficiência que, na década de 1980, ma...

Mural

Entrevistamos Amália Fischer, cofundadora do Fundo ELAS, sobre doação e o impacto nos direitos das mulheres no Brasil

Quando o assunto é direito da mulher, o cenário brasileiro melhorou, mas ainda há muito a se fazer para que números ...

Realização
Apoio
Acompanhe a VIRALIZE

© 2018. Todos os direitos reservados.

Novidades

Deixe seus dados e receba alertas com as novidades da Viralize.